terça-feira, 9 de dezembro de 2014

Ciclo de Escrita - poesia

Ultimamente, temos andado a trabalhar o texto poético, na Biblioteca.

Comecámos por ver umas pinturas muito bonitas feitas por um pintor italiano chamado Giuseppe Arcimboldo. Descobrimos muitos frutos, muitos legumes e algumas hortaliças.



 Depois, analisámos a poesia de Alice Vieira (1994). Eu bem vi nascer o Sol. Lisboa:Ed. Caminho, 1994:

 


Por fim, pedimos "emprestado" a poesia da Alice Vieira e fizemos as nossas próprias quadras.


Semeei na minha horta
um velho guarda-chuva
nasceu-me uma menina despenteada
a esmagar uma uva.

Semeei na minha horta
uma garrafa de cerveja
nasceu-me um homem enferrujado
a comer a porta de uma igreja.

Semeei na minha horta
um pelo de ratazana
nasceu-me um burro velho
a descascar uma banana.
3.ºA


Semeei na minha horta
a cauda de um dragão
nasceu-me o Tarzan em cuecas
a esmagar um feijão.

Semeei na minha horta
um pedaço de uma franja
nasceu-me um cão com três rabos
a roer a casca de uma laranja.
                                                                      
Semeei na minha horta
o rabo de uma cigana
nasceu-me um pastel de batata
a escorregar na casca da banana.
3.ºB


Semeei na minha horta
um velho guarda-chuva
nasceu-me um cão com dois rabos
a chupar uma uva.

Semeei na minha horta
um par de óculos
nasceu-me o Tarzan em cuecas
pendurado num molho de brócolos.

Semeei na minha horta
um pé de curgete
nasceu-me um polvo com calças
que só sabia contar até sete.
3.ºC


Semeei na minha horta
a cauda de um dragão
nasceu-me um polvo com calças
a roer a casca de um limão.

Semeei na minha horta
um pezinho de hortelã
nasceu-me o Tarzan em cuecas
a engolir as sementes de uma maçã.
3.ºD


Semeei na minha horta
O pau d’uma vassoura
nasceu-me uma velha desdentada
a comer uma grande cenoura.

Semeei na minha horta
O chapéu de um espantalho
nasceu-me uma cabra cega
montada em cima de um alho.

Semeei na minha horta
o sino de uma igreja
nasceu-me um barbeiro com soluços
a cortar o cabelo de uma cereja.

Semeei na minha horta
uma velha pilha
nasceu-me um piolho na peruca
a dançar com uma ervilha.

Semeei na minha horta
a saia de uma cigana
nasceu-me um macaco sem rabo
a descascar uma banana.

Semeei na minha horta
a dentadura da minha tia
nasceu-me um cão com dois rabos
a roer uma melancia.
 3.º/4.º Fonte Santa




Sem comentários:

Publicar um comentário